Série: Tomando decisões segundo a Vontade de Deus


folhas_ao_vento11Vivemos em um período que tem perdido o valor da meditação bíblica. Falamos de leitura diária da Bíblia, mas não de meditação diária da Bíblia. Não temos por hábito trazer princípios para as nossas conversas regulares, porque não pensamos sobre aplicabilidade deles para o nosso dia a dia.

O justo do Antigo Testamento nem sempre tinha acesso constante à leitura do texto bíblico, mas era dever meditar na Lei do Senhor, de dia e de noite. Em contrapartida, hoje temos acesso fácil às escrituras no celular, no tablet, ou em qualquer outro recurso tecnológico, mas falta-nos a prática de meditar no texto sagrado. Tanto é, que o conceito de meditação, para nós, relembra a prática de religiões orientais, que ao invés de encher a mente do que é puro e amável, procura esvaziar a mente. Por conta desse contexto, parece estranho para alguns e desinteressante para outros, que um dos textos mais conhecidos na Bíblia, que menciona a vontade de Deus, trata do nosso culto racional e a renovação da nossa mente.

Decidir, em conformidade com a Palavra de Deus, tem tudo a ver com exercícios da mente, com a ideia de ruminar em cima do texto sagrado, ponderar sobre as situações com base em princípios bíblicos. Por isso, o primeiro caminho que devemos trilhar na busca por sabedoria é o caminho da reflexão.

A prática desse princípio gerará sensibilidade para aplicar princípios da Escritura a uma determinada situação. Direção é saber a vontade de Deus para as nossas vidas, é muito mais uma questão de pensar do que sentir, então não caia na armadilha de achar que a direção divina virá, costumeiramente, por meios extraordinários. Aprenda a meditar nas escrituras.

Heber Campos Jr.