Perplexos, mas não desesperados.


perplexoUsamos a palavra esperança, pelo menos, de três maneiras diferentes: 1. Para uma realidade futura que você espera: “ano que vem espero sair da crise”. 2. Em uma pessoa que traz confiança e certeza: “espero que meu cunhado me empreste uma grana”. 3. Como um sentimento subjetivo ou convicção na alma: “espero que o meu time ganhe, meu time vai ganhar hoje.”

Podemos ter esperança no futuro sim, podemos e devemos ter esperança de que Deus cumprirá aquilo que nos prometeu e Ele mesmo se coloca como garantia do cumprimento dessa promessa, mas quando pensamos em esperança para o futuro, numa realidade que desejamos, essa esperança nos move a agirmos em direção a esse futuro que já temos como garantia do próprio Deus. Quem tem esperança no futuro age. Quem tem esperança no futuro combate o bom combate. Quem tem esperança caminha em direção à terra prometida.

Podemos ter esperança em uma pessoa também, podemos depender de alguém sim, mas não dá para ter esperança em qualquer um, mas em Deus: “sejamos firmemente encorajados, nós, que nos refugiamos nele para tomar posse da esperança” Hb.6.18. Quem tem esperança confia. Se você tem esperança em alguém, você confia nesse alguém, se refugia. Quem tem esperança, também espera, tem uma convicção de alma, permanece, não desiste, existe uma certeza. Não há dúvidas.

No meio da desolação, no meio do vendaval, no meio da tempestade, quando o mar está revolto, quando temos a sensação de que vamos naufragar, o autor da carta aos Hebreus diz que a ancora da alma está fincada no trono da graça de Deus. “Temos esta esperança como âncora da alma, firme e segura, a qual adentra o santuário interior, por trás do véu.” Hb.6.19.

Esperando vida pra vida!

Pr. Lemuel Rodrigues