Páscoa: que haja luz em tua casa!*


As ligações entre a nossa Páscoa, a de Jesus e a do primeiro evento encerram um tesouro simbólico inesgotável. Jesus tinha isso em mente quando celebrou essa festa com os seus discípulos que consumava em seu corpo significados apenas indicados na celebração original.

pascoaAprendemos, desde cedo, que o simbolismo pascoal fala de escravidão e de libertação; de trevas e de luz. A servidão no Egito, hoje, materializa-se no jugo do pecado; e a celebração da Páscoa transforma-se em memorial de libertação pelo poder de Deus.

Estando o Egito em trevas, Deus passaria para ceifar as vidas dos primogênitos. De ricos e pobres, livres e escravos, humanos e animais. Porém, naquela casa onde um cordeiro tivesse sido morto e seu sangue espargido nas ombreiras e na verga da porta, o Senhor não tocaria (Êx.12.7).

Houve grande clamor no Egito. Chorou faraó e seus súditos a morte de seus filhos, e chorou o Senhor a morte do seu. É a conexão estabelecida antes da fundação do mundo, eficaz para salvar. Tanto lá quanto hoje.

O pranto do faraó não teria consolo. Já o pranto de Deus viria acompanhado de luz e vida. Vida e luz eternas resplandecendo nos corações em que se encontrassem o pão partido e o sangue derramado. Naquele Cordeiro estava a vida e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela. (Jo. 1.5).

Que haja luz em tua casa! Pr. Jhonatan Rodrigues
*Rubem Amorese (www.ultimato.com.br)