O indivíduo, a família e o Evangelho


o-unico-e-verdadeiro-evangelho-parte-1Muitos de nós crescemos com a percepção de que o Evangelho é fácil e bonito. Escolhemos uma igreja e nela levamos nossas crianças e fazemos celebrações familiares. O evangelho se torna um adendo, um cosmético para o nosso bem-estar. Porém, ele é algo bem diferente disto. Vejo três movimentos que precisamos discernir e abraçar no que se refere às palavras de Jesus.

O primeiro nos desafia a olhar para dentro de nós e reconhecer quem somos e a nos confrontar com os processos destrutivos que fermentam em nosso interior. Por meio do resgate, vemos aflorar o sentido tanto da família com o qual fomos agraciados por Deus desde a criação.

O segundo aponta para o resgate do sentido e da importância da família. Em seu ministério, Jesus aponta para o cuidado com os pais e na hora de sua morte, preocupa-se com a mãe e a entrega aos cuidados do discípulo João.

O terceiro movimento abraça o excluído, o solitário e o abandonado e resgata a dignidade da vida de cada um deles, como Jesus sempre fez. Foi para isso que ele apontou quando reagiu aos seus irmãos e à sua mãe, quando pretendiam buscá-lo no Templo.

É preciso enxergar além da própria estrutura familiar. O Evangelho não nos tira a família. Antes, acrescenta a ela uma família maior, que é a família da fé. Por isso, Jesus diz que quem faz a vontade de Deus passa a ser sua família. O segredo é fazer a vontade de Deus, e esta inclui honrar pai e mãe, cuidar dos filhos com amor e viver uma vida de serviço a Deus.

Valdir Steuernagel